Rafael Yaluff | KARAOKE

Karaoke

Karaoke é um projecto conjunto de Rafael Yaluff com Bruno Lança, Ana Brito, José Pinto e Tiago Madaleno.Nasce como parte do desafio de usar vidro e pela minha vontade de pintar. São três pinturas sobre a cidade e os seus líquidos. E são três esculturas sobre a ficção cientifica e a transfusão. O Karaoke é uma interpretação, aqui oferecemos, oxalá, a música, e se tudo resultar ao menos poderá vir e cantar uma canção.

Rafael Yaluff

 

Laura Castro

 “Diário Incompleto”

Decidi escrever uma espécie de diário ou falso diário, na tentativa de me aproximar da intensidade e da concentração com que Rafael Yaluff trabalha por estes dias, na pequena sala da fábrica destinada aos artistas. É o próprio quem chama à sua residência artística clínica productiva de pintura, em que o trabalho procede por associações livres, supostamente isentas de imperativos académicos, mas a que não são alheias referências intelectuais e eruditas, estímulo para a criação. E há um discurso prévio que me foi apresentado, de oposições e complementaridades: violência crítica e subversão; sombra e luz; abjecto e belo; crescimento e colapso; inferno e paraíso; real e onírico; anjo e demónio; existência e promessa; falhanço e êxito.

As imagens circulam e colonizam o nosso corpo, o nosso olhar, o nosso pensamento e a nossa memória, não se geram numa realidade descarnada. Por isso, o seu processo de trabalho é visceral, luta corpo a corpo, no risco do que a pintura exige e na aceitação do que oferece.

Ideias avulsas sobre as obras concretizadas: coisas suspensas por cordas, peixes encapsulados, lixo urbano, fluidos corporais, líquidos que jorram, escórias e impurezas; sistemas circulatórios humanos e urbanos que se equivalem no trajecto escatológico das matérias; um aparelho venoso existe nas pessoas como nas cidades; o ambiente urbano é organismo avassalador que tudo engole e digere, a que o cinema empresta o seu imaginário tecnológico ou pós-apocalíptico.

Na pintura morrem matérias e nascem imagens. Esta pintura é um dispositivo onde se alojam as imagens nómadas que Rafael Yaluff tão bem conhece.

Laura Castro